Qual o seu legado? Busque o autodesenvolvimento e deixe sua marca!

Você sabe qual é a sua verdadeira vocação? Você sabe qual é a sua missão vida? Perguntas difíceis de responder, não é mesmo? Porém, fundamentais. Busque o autodesenvolvimento e saiba como deixar a sua marca no mundo!

Você sente que escolheu a profissão errada, que esta não é a sua missão de vida e que não te completa, como pessoa?

Eu sei quão desconfortável é o sentimento de incompletude. Mas creia, tal sentimento pode ser passageiro, desde que encontre e exerça a sua missão de vida.

Continue lendo o artigo Qual o seu legado? Busque o autodesenvolvimento e deixe sua marca! e saiba como deixar um legado, como Sebastião Salgado!

Receba Sacadas de Fotografia e Saiba Como Fotografar Imagens Impossíveis De Serem Ignoradas!

Como Buscar o Autodesenvolvimento

Você pode estar se perguntando: “como faço para saber se estou no caminho certo?”

Para tal, é necessário encontrar o seu porquê/razão de existir e a sua habilidade única.

Para encontrá-los, responda às seguintes perguntas:

  1. Por que faço o que faço?
  2. Faria o que faço gratuitamente?
  3. A atividade que realizo hoje me realiza profissional e pessoalmente?
  4. A atividade que realizo hoje está contribuindo para eu atingir meu maior objetivo?

Após responder tais perguntas, estabeleça a sua missão (razão de ser), visão (onde quer estar daqui a 5 ou 10 anos) e valores (virtudes que norteiam a sua conduta e que são inegociáveis).

Confira Os 7 Melhores Conselhos Que Já Recebi Sobre Felicidade!

Confira a história inspiradora de Sebastião Salgado!

Sebastião Salgado nasceu, em 1944, em Conceição do Capim, distrito de Aimorés (Minas Gerais), maior região mineira do mundo. Aos 15 anos, mudou-se para Vitória, no escopo de cursar os Ensinos Médio e Superior.

Na capital capixaba, formou-se em Economia e, não, em Direito, como desejava o seu pai. Lá, conheceu Lélia, com quem iniciou um romance. Tempos depois, eles se casaram e se mudaram para São Paulo.

Após terminar a graduação na Universidade Federal do Espírito Santo e o mestrado, na Universidade de São Paulo (USP), migrou para Paris (devido à Ditadura Militar vigente no país), seguindo o conselho da organização de esquerda, de que fazia parte. Na Cidade-Luz, estudou Economia.

Missão de Vida de Sebastião Salgado

Exilado na França, iniciou o Doutorado em Economia Agrícola, porém, não defendeu a tese, apesar de ter desenvolvido uma dissertação sobre o assunto. Após algum tempo, mudou-se para Londres.

Neste período, Sebastião trabalhou também na Organização Internacional do Café, na capital inglesa, o que lhe permitiu, durante uma viagem de negócios à África, realizar a sua primeira sessão fotográfica e, mormente, de descobrir a sua verdadeira vocação: a Fotografia.

A partir de então, Lélia passou a administrar a carreira de Salgado, dando ideias e sugestões, divulgando e negociando contratos do fotógrafo.

Os Primeiros Passos de Sebastião Salgado na Fotografia

Na capital inglesa, decidiu seguir a carreira fotográfica. Para tanto, vendeu tudo o que tinha e retornou para Paris. Resolveu, então, abandonar o seu ofício e investir em uma nova profissão. Começou sua carreira fotográfica, aos 29 anos. Como fotojornalista, trabalhou para as agências Sygma (6 meses), Gamma, uma das maiores agências fotojornalísticas (4 anos), para ele, a sua verdadeira escola de Fotojornalismo e para a cooperativa fotográfica francesa Magnum, onde ficou 15 anos.

Em 1977, Salgado realizou uma viagem pelas Américas do Sul e do Norte (México), a fim de fotografar as comunidades indígenas e camponesas desta região. Terminou a odisseia em 1984 e, em 1985, lançou o seu primeiro livro Outras Américas.

Entre 1983 e 1986, fotografou o Sahel (região situada na africana subsaariana, assolada pela seca e pela partilha da terra), e lançou o livro Sahel: O Homem em Agonia (1986).

Em 1994, deixou a agência Magnum e  fundou a agência Amazonas (sucursal de notícias localizada na França, que cuida apenas da produção e da obra de Sebastião), administrada por Lélia Wanick Salgado.

Trabalhadores (1997), seu terceiro livro, baseado na Teoria Do Trabalho Produtivo, do sociólogo alemão Karl Marx (1818 – 1883), retrata as pessoas que construíram o mundo, na visão de Sebastião e Lélia. Sebastião fotografou, desde os mineiros de Serra Pelada até os pescadores de atum da Sicília, na Itália.

Curtindo Qual o seu legado? Busque o autodesenvolvimento e deixe sua marca!?

Êxodos

Após terminar de fotografar e editar Trabalhadores, Sebastião e Lélia planejaram cuidadosamente Êxodos (2000). Os artistas voltaram a sua atenção à África: Ruanda e Congo, para onde os refugiados ruandeses migraram, devido à guerra civil em seu país, e à antiga Iugoslávia (1994 – 1995), durante a guerra civil naquela nação. Tal projeto levou 6 anos para ser concluído.

Após Êxodos, Sebastião perdeu a crença na raça humana, devido às atrocidades que viu e viveu tanto na África quanto na Iugoslávia.

Decidido a abandonar a Fotografia, devido ao choque causado, pelo trabalho realizado no Projeto Êxodos, voltou ao Brasil, em 2000.

Neste interim, Lélia teve a ideia de replantar árvores da propriedade, onde Tião cresceu, já que o local tinha 0,5% apenas de floresta tropical, mas já tivera 50%. Nascia, então, o Instituto Terra e um Parque Nacional.

Genesis

Após observar a natureza destruída da fazenda de sua família reflorescer, Salgado teve o desejo de retratar locais intocados. E, destarte, apresentar um novo planeta. Esta foi a força motriz, por trás do Projeto Genesis. O nome faz referência ao dia da Criação (Genesis), já que 50% do planeta permanecem como naquele período.

Mesmo amigos o desaconselhando a realizar o projeto, pois achavam muito arriscado, Salgado aprendeu a fotografar paisagens e realizou com maestria Genesis.

Sebastião começou a jornada no início de 2004, e a terminou no final de 2011. O fotógrafo viajou, cerca, de oito meses por ano, para realizar o projeto.

Sebastião visitou 32 regiões remotas, divididas em cinco seções geográficas: Planeta do Sul; Santuários; África; Espaços do Norte; Amazônia e Pantanal, a fim de registrar a majestade e a beleza da natureza, sua relação com o homem e os animais, bem como de registrar comunidades alheias às transformações ocorridas ao longo dos séculos, porquanto mantêm suas tradições ancestrais.

Com tal trabalho, Sebastião busca levar os espectadores a refletirem acerca da vida nos grandes centros e, principalmente, do seu papel na conservação do planeta.

Agora, chegou a sua vez de sonhar; mas, principalmente, de agir!

A Minha Jornada Em Busca Da Autorrealização Pessoal E Profissional

Atividade de Autodesenvolvimento

Sonhe, Sonhe Alto e Muito

Tal qual Sebastião Salgado, decida e tenha coragem de lutar pelos seus sonhos (seus maiores bens) e, principalmente, de pagar o preço para alcançá-los.  Você só terá a ganhar com tal decisão!

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos. Fernando Teixeira de Andrade

Caso você tenha descoberto que sua verdadeira vocação é ser fotógrafo, já se imaginou fazendo parte da história das pessoas e transformando suas vidas, seja fotografando o casamento, o aniversário de 1 ano do primeiro filho, a inauguração de um empreendimento ou o primeiro vernissage de um artista?

Então, vamos juntos nessa jornada, em busca da autorrealizaçãoSaiba Mais!

Receba Sacadas de Fotografia e Saiba Como Fotografar Imagens Impossíveis De Serem Ignoradas!

Curtiu Qual o seu legado? Busque o autodesenvolvimento e deixe sua marca!? Compartilhe e inspire outras pessoas a realizarem os seus sonhos!

Antes de imprimir, pense. O meio ambiente agradece.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *